6 perguntas para ajudar você a destralhar

A grande maioria das pessoas tem itens guardados em casa que, ou raramente

são usados ou, nem lembra mais que os têm. E apesar disso, toda vez que é

necessário fazer uma limpeza para destralhar e desocupar espaço a pessoa é

acometida de um sentimento de perda, como se não sobrevivesse sem aquele

objeto que nem se lembrava mais que possuía.

Interessante isso, pois grande parte da bagunça vem destes itens, estas

bugigangas que muitos têm, mas nem sabem porquê e para quê.

A etapa do desapego é a primeira a ser vencida quando o assunto é organização e

não raro encontramos clientes que vão falando logo na primeira visita “ tudo o que

tenho é útil e eu não vou me desapegar de nada”. O que não nos surpreende é

que ao começar o trabalho logo percebemos que o volume de coisas que essa

pessoa tem é extremamente desassociado ao tamanho do móvel (armário, gaveta,

etc) que possui. O que fazer então para ajudar essas pessoas a decidir se vão ou não se desfazer

de algo e tornar suas vidas mais organizadas.

Algumas perguntas vão contribuir para essa decisão:

– Há quanto tempo eu tenho isso?

– Eu precisei disto nos últimos 6 meses?

– Que sentimento este objeto me traz? Se trouxer tristeza ou pensamentos ruins

ficará muito mais fácil descartar

– Eu compraria isso hoje? Que benefício me traria?

– Tem a ver com meu Eu atual ou faz parte do meu passado?

– Se eu não tivesse esse objeto agora quais consequências isso teria na minha vida.

Em muitos casos, fazendo estas perguntas você já consegue identificar o que fica

e o que sai. Com essa decisão tomada, agora é hora de determinar o que vai para

o lixo, o que vai para o conserto e o que merece uma segunda chance indo para

doação, afinal o que já não serve pra você pode ter utilidade para outra pessoa e

cumprir ainda uma longa jornada.

Com as respostas certas comece a desapegar e a destralhar sua casa já!

Um grande beijU da Ale Criballi


Algumas dicas para manter sua geladeira organizada

A geladeira é o lugar da casa onde nós menos pensamos em organização, pois

normalmente chegamos da feira ou do supermercado tão cansados que vamos

enfiando tudo lá dentro sem ao menos olhar. Mas, sabia que na geladeira a

organização é a maior aliada, não só da ordem, mas principalmente da nossa

saúde. Isso porque o modo que armazenamos os produtos pode nos poupar de doenças e

ajudar a conservar melhor os alimentos.

O ovo, por exemplo, que normalmente, nas geladeiras brasileiras é guardado na

porta tem que ser agora mesmo tirado de lá, já que por se tratar do local que tem o

maior contato com a parte de fora, a porta pega todos as bactérias que estão no ar

e os ovos absorvem estas bactérias facilmente, já que tem uma membrana muito

fina. As frutas e legumes devem ficar armazenadas no gavetão separadas por tipo e

devem ficar em plástico transparentes. Nunca, em hipótese alguma coloque elas

nos saquinhos de supermercados que ficam em contato com o carinho e que são

lavados raramente.

Queijos, leite, manteigas e derivados devem ficar na prateleira mais alta da

geladeira, assim serão conservados por mais tempo.

Na porta coloque temperos, saladas, e condimentos, sucos e refrigerantes.

As latas devem ficar fora da geladeira e quando abertas seu conteúdo deve ir para

um vidro, assim durarão muito mais tempo.

Carnes devem ficar no freezer e depois de preparadas em potes de vidro ou

plástico na 3ª prateleira.

Use e abuse dos itens organizadores para manter sua cozinha em ordem: cestas

de plástico, de acrílico, porta ovos, etc.

Limpe a geladeira pelo menos 1 vez na semana (limpeza superficial) e de 15 em

15 dias faça uma faxina completa, só assim você evitará o acúmulo e proliferação

de germes e bactérias.

Seguindo essas dicas você vai ter mais saúde na sua casa!

Acompanhe mais dicas de organização na nossa página no

facebook: https://www.facebook.com/organizandU


Seus sapatos em ordem

O Japão é um país de culturas e hábitos milenares e temos muito que aprender

com este povo. Um dos costumes que mais admiro e tento seguir é o hábito de

tirar os sapatos ao entrar em casa. É fato que ao andar na rua nossos sapatos trazem todo o tipo de bactérias e

sujeira e este hábito simples pode evitar muitas doenças.

Colocar um cesto na entrada da casa com as famosas surippas (chinelinhos típicos

para usar dentro de casa) é uma forma bastante simpática de receber seus amigos

e mostra o quanto você é preocupada com sua casa e o bem estar de quem mora

nela. É uma tradição que, para nós ocidentais, pode parecer estranha, mas se

avaliarmos o bem que faz, principalmente, para nossa saúde, todos nós não

pensaríamos duas vezes para aderir a esta tradição.

Mas pra nos prevenirmos mais ainda não basta apenas tirar o sapato é preciso

também, higienizá-lo para que as bactérias não sobrevivam, já que essas bactérias

costumam ser bastante resistentes.

Então ao chegar em casa, eu tiro meu sapato, coloco ele para arejar na área de

serviço ou na sacada e limpo com o produto que uso há algum tempo e que acho o

mais eficaz no momento: Lysoform da Bombril.

Eu realmente gosto deste produto e indico, porque é simples e sei que acaba com

as bacteriais. É só colocar numa esponja ou pano e limpar todo o calçado por fora.

Para limpar por dentro eu uso bicarbonato de sódio, depois é só deixar até o outro

dia e aí sim guardar na sua sapateira.

Isso evita que sua sapateira também seja contaminada com as bactérias que vem

da rua e podem passar para os demais sapatos, além em claro de dar mais tempo

de vida útil aos seus sapatos.

Com os sapatos limpos e protegidos você pode usar sua surippa ou mesmo o

“chinelo de casa”, esse que não sai na rua e você usa dentro de casa.

As cestinhas organizadoras são apenas uma das formas para você organizar seus

chinelinhos, veja nas fotos e aproveite as ideias.

Quer ver mais dicas sobre organização. Segue a gente no

facebook: https:www.facebook.com/organizandU

Um grande BeijU

da Alê Criballi


Criança e organização combinam?

Todo mundo sabe que quando se tem criança em casa é bem difícil manter a

ordem e a organização. Mas, sabemos também que uma criança criada com

organização tem mais chance de ser uma adulto organizado. E a organização é

necessária não só na vida pessoal como também na profissional, porque facilita

muito as coisas.

Mas como incutir a organização na vida de seres tão pequenos. A primeira

resposta para essa pergunta, é dar o exemplo, pois criança aprende repetindo o

que vê e, se você não se esforçar para ser pelo menos um pouco organizado, seu

filho ou filha também não conseguirá ser.

Para se conseguir o sucesso na organização com os pequenos, é necessário

convidá-los a fazer parte do processo e estipular tarefas que podem ser cumpridas

por eles, dependendo da idade em que estão .

Centrar a organização nos seus próprios objetos, pode ser o pontapé inicial e ao

longo da vida ir implementando novas tarefas fora do âmbito de suas próprias

coisas, de seu quarto.

Manter os objetos ao alcance das mãos e dos olhos também é uma sugestão

importante, pois quando ela tirar um brinquedo saberá onde colocar de volta.

Identificar os brinquedos e livros com ilustrações ou etiquetas quando já sabem ler,

facilita na localização do item preferido.

Categorizar e separar os itens do quarto por tipo, também ajuda na organização e

traz rapidez na hora da procura.

Facilitar o acesso da criança às coisas que deve manter em ordem é essencial

para que ela sinta a responsabilidade que tem em fazer as tarefas propostas.

Você também tem que fazer sua parte (lembra do exemplo ?), então uma vida

organizada com rotina e horários pré-estabelecidos vão ajudar a criança a

entender que há organização e ordem na casa.

Içami Tiba, psiquiatra e educador, que nos deixou recentemente, dizia que "É a

dificuldade de organização que favorece a bagunça e, na bagunça, dificilmente as

pessoas conseguem produzir.", então cabe a nós ouvir o grande mestre e

contribuir para criar mentes mais produtivas, afinal nossas crianças merecem.

Um grande beijU da

Alê Criballi

Quer ver dicas sobre organização. Segue a gente no


D.Benta online

Eu sou do tempo em que os cadernos de receita eram escritos à mão, com

receitas passadas de geração a geração e organizar todos esses livros na

prateleira da cozinha não era nada fácil.

Ou você ganhava de presente de casamento um livrão (parecia uma bíblia)

da Dona Benta que te ensinava, desde fazer um simples arroz até receitas mais

elaboradas. Apesar de ainda termos muitos cadernos de receitas nas cozinhas de nossos

lares, é bastante comum, agora, termos nossa receitas em nossos smartphones ou

tablets. O que não muda em nenhum dos dois casos é a organização destes materiais.

Tanto o caderno de receitas como os aplicativos precisam de um tempo dedicado

à sua organização, já que não há nada pior do que procurar uma receita e não

saber onde ela se encontra.

No caso dos cadernos, basta organizá-los numa bandeja, cesta ou caixa e

armazenar na cozinha ou bem próximo a ela para facilitar a consulta diária. No

caderno a solução mais prática é catalogar as receitas ou ainda fazer um índice

com a ordem que as receitas se encontram no caderno. Será interessante também

separar estas receitas por categorias: doces, salgados, faça rápido etc.

Se preferir você também pode fazer um fichário e personalizar ele com um tecido

especial ou colagem, assim suas receitas ficam todas num único lugar.

Já para os apps é importante criar uma categoria chamada Receitas ou algo que

facilite a procura no seu aparelho. Além de, criar e salvar as receitas que já fez

num livro dentro do aplicativo. eu costumo usar o CyberCook e TudoGostoso para

armazenar minhas receitas e acho eles bastante práticos.

Num mundo em que cada minuto vale ouro, em qualquer um dos casos, sem

organização você vai ter dificuldade de acessar suas receitas preferidas e prepará-

las rapidamente.

Também vale lembrar da boa armazenagem dos seus cadernos e da limpeza

periódica que podem dar a esses cadernos mais tempo de vida e um status

incalculável. Quem sabe qualquer dia desses um chef famoso descobre alguma

receita especial de um desses seus caderninhos e transforma num clássico da

culinária.

Um grande beijU da Alê Criballi