Item de organização: cabide

Cadide é tudo igual?

Quando o assunto é organização geralmente pensamos em caixas organizadoras, repartidores, prateleiras e por aí vai. O fato é que as vezes podemos esquecer de alguns objetos que mesmo com sua simplicidade têm muito a oferecer. No caso, estamos falando de cabides.

O objeto criado pelos egípicios há mais de 4 mil anos atrás continua tendo o poder de salvar nossas vidas, ou melhor, nossas roupas! Apesar de não serem notados às vezes, como deveriam ser, fazem toda a diferença no guarda-roupa.

Vamos começar padronizando um pouquinho a coisa:

Procure ter cabides iguais, a padronização colabora muito com a parte visual e até o ato de encaixá-los no varão do guarda-roupa. Você pode até pensar “ah, mas qual o problema em ter vários coloridinhos”. Bem, até então as cores são o menor dos problemas, mas é fato que essa mistura de tons acaba criando uma certa confusão em nossa mente. É por isso que as cores neutras ou qualquer que seja, desde que monocromáticas, se adaptam melhor visualmente falando.

Hoje no mercado existem diversos tipos de cabide, com designs diferenciados, cores e para fins distintos. Uma dica é comprar aqueles kits que vêm com algumas boas unidades. Ah, mas é claro que existem exceções. Por exemplo, ternos, casacos e roupas de festa precisam de cabides específicos, já que se tratam de peças, digamos assim, “finas”.

Organizar e guardar as roupas com zelo é algo indispensável, já que assim é possível até mesmo prolongar seu tempo de “vida”. É importante que você saiba escolher o tipo certo para suas roupas, tendo em mente que o objeto pode tanto conservá-las como também detoná-las.

Confira os tipos de cabides:

Cabide leva e traz: Sabe aqueles cabides que recebemos quando levamos nossas roupas na lavanderia? Algumas pessoas têm o mau hábito de usá-los como cabide de roupas por muito tempo, quando na verdade eles deveriam apenas ser um meio de transporte da lavanderia até sua casa. A verdade é que esses cabides são muito frágeis e entortam facilmente, estragando as roupas. Engraçado é que são justamente as peças mais finas e os casacos que vão pra lavanderia, ou seja, peças que precisam de atenção redobrada.
Mas anota aí: A dica é que ao chegar da lavanderia você tire a peça de roupa do cabide de cortesia e o devolva para a lavanderia. Senão, use-o para estender a peça só enquanto seca no varal, porque neste caso serão poucos minutos ou horas secando.

Cabide de madeira: Esse cabide é o queridinho da maioria das pessoas, creio que seja porque ele é muito bonito esteticamente e com uma certa pompa e circunstância. Mas é como já diziam nossas avós “beleza não se põe á mesa”. Isso porque apesar de bonitão ele é mais útil para os casacos grandes e ternos masculinos, pois como é muito largo o caimento pode criar aquelas orelhas estranhas nas camisas menores, normalmente de mulheres.

Cabide de plástico: Estes são os mais comuns e têm várias opções de cores. Apesar de mais baratos, alguns cabides de plástico são muito bons. Geralmente por causa da forma dão um ótimo caimento nas roupas, também não são tão largos e por serem menos flexíveis duram mais. Então não pense que precisará investir grandes quantias para ter bons cabides.

Cabide de acrílico: Além de terem um bom caimento, os cabides de acrílico trazem leveza ao armário e deixam tudo padronizado de uma forma bonita de se ver. Além do mais tem opções diversas de acessórios, presilhas, ombreiras, etc. Tem também a opção de comprar o modelo infantil para as calças, que por serem mais finas no cabide infantil não ficam “sambando”.

Cabide flocado/veludo: Os cabides flocados passam por um processo de fabricação para receberem aquela textura macia. Os cabides avelulados oferecem um caimento melhor as roupas e livre de deixar as peças com aspecto amarrotado.

Pois é, cabide não é tudo igual não, viu!? É mágica a sensação de organização que os cabides podem proporcionar. Por isso, aproveite as dicas e não erre nunca mais!

Um grande beijU da Alê Criballi

Quer ver dicas sobre organização? Segue a gente no facebook: https:www.facebook.com/organizandU

Gostou? Então nos ajude a espalhar esta mensagem por aí!



O essencialismo

Vivemos num mundo, e portanto, numa sociedade que acredita que o fato de uma pessoa ter a capacidade de realizar inúmeras tarefas, ter o carro do ano, a casa dos sonhos ou assumir muitas responsabilidades é algo positivo e que garante êxito, ou melhor, o famigerado “sucesso”.

Geralmente esses excessos trazem consigo apenas malefícios, já que a ilusão em perseguir o melhor, e por fim, garantir um “bom futuro”, na verdade acaba apenas por desgastar o ser humano ao longo de sua vida. Você pode até pensar que não, mas a verdade é que quanto mais o indivíduo consome, mais ele tem necessidade de obter coisas e menos feliz ele se sente. Isso porque objetos não suprem as reais necessidades do ser.

Muitas vezes buscamos a paz nas coisas, consumimos, nos distanciamos do nosso sentido de viver e esquecemos que a verdadeira paz deve vir de nós mesmos, do nosso interior. A filosofia do essencialismo é básica e única, mas não deixa de ser um grande desafio. Para algumas pessoas pode ser difícil abdicar da idéia de que “mais” não significa “melhor”.

O essencialismo é um estado mental, não é uma receita ou fórmula que seguida passo a passo garantirá êxito. É a concentração em si mesmo, a sua voz interna. É o desafio de abrir mão de seus piores hábitos e da busca incessante por objetivos que apenas trarão prejuízos a longo prazo.

Quando você entende o que é realmente vital em sua vida, você passa a se dedicar mais às coisas importantes para si e vê resultados satisfatórios de verdade.

É primordial entender para si mesmo o que é realmente necessário para sua existência. Menos consumo, menos tarefas e responsabilidades que destruirão, de alguma forma, sua mentalidade.

O essencialismo é se livrar do que te impede de estar em equilíbrio.

Curtiu as dicas? Conta pra mim nos comentários!

Um grande beijU da Alê Criballi

Quer ver dicas sobre organização. Segue a gente no facebook: https:www.facebook.com/organizandU

 

Gostou? Então nos ajude a espalhar esta mensagem por aí!



Com o armário cápsula você otimiza seu guarda-roupa e economiza dinheiro

Muitas mulheres entram em crise existencial por acharem que não têm o  que vestir.

Você já parou para pensar que o problema pode não estar na falta de  peças do seu guarda-roupa mas no excesso delas? Isso mesmo. O fato é  que às vezes nos esquecemos de combinar o que já temos e acabamos por  investir em peças sem que haja realmente uma necessidade.

O armário cápsula pode ser considerado um caminho para nos desviar dos  excessos, otimizar o guarda-roupa e ajudar até mesmo a economizar  dinheiro.

Mas o que é a técnica do armário capsula afinal?

O termo “armário-cápsula” surgiu na década dos anos 1970 com a  estilista Susie Faux, pensando em um armário com poucos itens, alguns  essenciais que nunca saem de moda e outros atuais.

O que você precisa saber é que ele é basicamente um guarda-roupas com  quantidades de peças limitadas, mas que dão a possibilidade de montar  diversas composições.

Além do que para algumas pessoas a dificuldade na hora de se vestir  vai diminuir bastante.

Você escolhe como montar o seu armário cápsula, fica ao seu critério,  mas a ideia principal é que você faça o maior número de looks possível  com o mínimo de roupas e pare de comprar por impulso.

Se você não sabe por onde começar eu vou te dar algumas dicas que  podem ajudar:

• O número de peças deve variar de 40 a no máximo 50. Isso contando  com acessórios, isto é, bolsas, sapatos, adereços etc;

• Não adianta, apenas sair doando ou se desfazendo de suas roupas e  ficando com 40/50 peças. Na verdade, é necessário que as peças  combinem entre si e que seja bem pensadas. Você deve escolher peças  atemporais, que nunca saiam de moda. Uma saia lápis preta é necessária  desde que combine com você, caso contrário você pode trocar por uma  saia jeans.

• Organize suas peças por estação: É claro que você pode decidir como  vai organizar as peças, mas a dica é pensar pelas estações do ano.  Assim você se organiza de um jeito mais fácil;

• A boa notícia é que quando as estações mudarem você poderá trocar  algumas peças do seu armário cápsula, assim você não ficará presa  nestas 40 peças.

• Escolha peças neutras: Cores como preto, branco, cinza e marrom são  muito mais fáceis de combinar. Se você gosta de cores vibrantes,  aposte nos acessórios ou em peças coloridas que combinam com várias  cores neutras

• Não deixe de ser você mesma! Você não precisa abandonar seu estilo,  sabemos que geralmente as roupas refletem a personalidade e isso não  deve ser deixado de lado;

• Para facilitar a montagem de looks crie um catálogo com fotos de  suas roupas e tire um tempo para brincar com a montagem dos looks,  incluindo acessórios.

Pra mim a melhor coisa do armário cápsula é que todas as peças que  você tiver no armário serão amadas por você e você usará tudo e aquela  sensação de não ter nada pra vestir vai ficar para trás.

Utilizar essa técnica é um modo de enxergar que não precisamos de  tantas coisas para viver. É algo que nos faz reavaliar o que nos é  realmente necessário e entender que o excesso nunca será um benefício.

Ao final de tudo, crie hábitos benéficos, se organize! Assim a motivação chega, fica e o foco se mantêm.

Curtiu as dicas? Conta pra mim nos comentários!

Um grande beijU da Alê Criballi

Quer ver dicas sobre organização. Segue a gente no facebook: https:www.facebook.com/organizandU

 

Gostou? Então nos ajude a espalhar esta mensagem por aí!